Idioma do site
Português

O que a geração Y pensa sobre cultura organizacional?

1

Conhecidos como ambiciosos, curiosos, viciados em tecnologia e imediatistas, os representantes da geração Y têm vontade insaciável de aprender e estão sempre abertos ao novo. Também conhecidos como Millennials, estes profissionais nascidos a partir da metade da década de 80, já são mais de 1,8 bilhão no mundo e estima-se que, em 2025, serão 75% da força de trabalho. Considerados os líderes do futuro, o que pensam sobre cultura organizacional?
Pesquisa da consultoria de recrutamento executivo Talenses, realizada em julho de 2014 e que ouviu 108 profissionais desta geração em todas as regiões do País, questionou esse público sobre o significado da cultura organizacional. Para a maioria dos respondentes, a cultura organizacional é vista como uma ferramenta que garante às empresas forte posicionamento de mercado, alinhado às suas estratégias de negócios e ao perfil dos executivos (56,38%). Esse número reflete um novo pensamento que tende a reconhecer a cultura organizacional como menos abstrata e imensurável e mais conectada aos objetivos financeiros da organização. Já 53,19% acreditam que a ideia está ligada ao controle, influência e moldagem da atitude e comportamento dos integrantes da organização. Em terceiro lugar, com 47,87% das respostas, o conceito de cultura organizacional significa conferir à empresa um senso de identidade.
O estudo também levantou o que estes jovens pensam sobre as metas das organizações onde trabalham. Para a maioria dos Millennials consultados, elas estão voltadas principalmente para as vendas e para a qualidade dos produtos e serviços prestados, empatados com 30% das respostas. A preocupação com o atendimento ao cliente aparece em segundo lugar, com 13% da opinião dos participantes em relação aos valores de suas empresas.
A cultura organizacional para os representantes da geração Y reflete diretamente no engajamento dos funcionários (34,25%) e nos padrões de comportamento bem definidos (31,51%) – para eles esses são os principais sintomas de uma cultura forte.
A pesquisa, que também envolveu profissionais de outras gerações, indicou que apenas 12% dos profissionais da geração Y estão de acordo com os valores da empresa onde trabalham. “Essa porcentagem reflete uma característica marcante dos Millennials. Eles são mais insatisfeitos, de certa forma, pois são mais exigentes e criteriosos em relação ao trabalho. Querem trabalhar com o que gostam e se envolver em projetos que façam a diferença. A busca do encontro entre o pessoal e profissional é tão grande, que muitos acabam optando por empreender”, conclui Valente.